ESTUDO REVELA AS INTERAÇÕES ENTRE O CÉREBRO E SISTEMA IMUNOLÓGICO MEDIADAS PELA MEMÓRIA OLFATIVA

Talvez você já tenha sentido uma profunda lembrança emocional ao sentir determinados cheiros, um fenômeno conhecido como “Fenômeno Proust”. Estudos científicos demonstraram que as memórias evocadas pelo olfato são muito mais emocionalmente carregadas do que memórias evocadas por qualquer outro estímulo sensorial. O mecanismo pelo qual isto ocorre é devido a direta comunicação neural que existe entre o sistema olfativo e o complexo amígdala-hipocampo, situado no sistema límbico.

Neste estudo realizado por pesquisadores do Japão, dez voluntários saudáveis foram recrutados para participar de um experimento intrigante: será que a memória olfativa consegue estimular o sistema imunológico de alguma forma? Um dia antes do experimento os próprios participantes escolheram o aroma que mais evocavam memórias autobiográficas.

As análises envolveram leitura por PET Scan, análise do sangue e relatos subjetivos. Após um período sem estimulação, os participantes foram colocados para sentir os aromas escolhidos previamente, e os resultados mostraram que o simples fato de estimular os voluntários com aromas que evocavam o Fenômeno Proust foi capaz de melhorar o humor e reduzir significativamente a concentração no sangue de citocinas inflamatórias como a interleucina-2, fator de necrose tumoral-alfa e o gama-interferon. Estas citocinas inflamatórias estão envolvidas na sinalização da inflamação sistêmica, e participam ativamente do sistema de adoecimento crônico humano.

Por André Ferraz
Psicólogo e Aromaterapeuta

Referência:

Matsunaga M, et al. (2013) Brain–Immune Interaction Accompanying Odor-Evoked Autobiographic Memory. PLoS ONE 8(8): e72523.

LASZLO Aromaterapia

https://pt.wikipedia.org/wiki/Memória

Deixe uma resposta